quarta-feira, 11 de maio de 2011

Plataforma pede socorro




Plataforma é um bairro operário, pobre e negro de Salvador, situado à margem da Bahia de Todos os Santos (e Orixás), Subúrbio Ferroviário. Desenvolveu-se a partir de uma fábrica têxtil (1875), onde trabalharam quase todas as famílias: homens, muitas mulheres e crianças exploradas das mais diversas formas. A fábrica construiu uma vila operária à sua volta, como era hábito à época em usinas têxteis; quando a fábrica fechou, a proprietária, Companhia Progresso União Fabril, passou a viver de taxas abusivas cobradas sobre os terrenos e casas da antiga

vila operária. A fábrica foi abandonada e apenas as suas ruínas sobrevivem até hoje. Os moradores, ao longo do tempo, praticamente reconstruíram as casas de taipa da antiga vila operária. A empresa alega propriedade dos terrenos que estranhamente só registraram em 1932, documento contestado por irregularidades observadas na escritura, em processo ainda sub judice. A União Fabril tem arbitrariamente tomado as casas construídas pelos moradores, expulsado de forma cruel famílias que ocupam as casas há mais de 100 (cem) anos e mantém as ameaças de mais expulsão até hoje.
Por tudo isso, a Associação dos Moradores de Plataforma (AMPLA) que luta pelo bairro desde 1977, está em campanha pela REGULARIZAÇÃO DAS TERRAS E A REVITALIZAÇÃO DA ANTIGA FÁBRICA PARA PROJETOS EDUCACIONAIS, CULTURAIS, ECONÔMICOS, etc, que ajudem a melhorar a vida do povo. Por esta razão vimos pedir seu valoroso apoio para esta causa tão justa, inclusive enviando para sua lista de e-mails.

Para assinar acesse:
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N9064. A melhor forma de mandar para a lista é copiando a mensagem com o link. Por favor, não esqueça de confirmar a assinatura.

Como moradora por muitos anos nesta comunidade, agradeço pela solidariedade!




enviado por :

Antonia dos Santos Garcia
Socióloga, doutora em Planejamento Urbano e Regional/IPPUR/UFRJ e
pesquisadora CNPq

Nenhum comentário: