sábado, 19 de fevereiro de 2011

Estaleiro do Paraguaçu mobiliza Recôncavo em 2011



Por Charles Carmo( Agência de Notícias - O Recôncavo)


O Governo da Bahia, através da Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Sudic) e da Secretaria Extraordinária da Indústria Naval e Portuária, em apoio ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) vai promover hoje (18/01/10), às 18h30, uma audiência pública para discutir o empreendimento Estaleiro Enseada do Paraguaçu, na Associação Atlética Maragojipana, no centro de Maragojipe.

Durante o evento, serão apresentados à população os resultados do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e do Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) para a execução do projeto. Aberta ao debate, a audiência visa também prestar esclarecimentos e recolher críticas e sugestões das comunidades a respeito do projeto apresentado.

Este empreendimento vai consumir recursos na ordem de 2 bilhões de reais. Há uma expectativa de que a obra gere 7,9 mil empregos no Recôncavo baiano. O Brasil nunca precisou tanto de navios e o pré-sal é uma realidade. Evidente que somos capazes de construir estes navios.

O Estaleiro Enseada do Paraguaçu pode ser um grande indutor do crescimento econômico da região. Entretanto, uma preocupação toma conta da comunidade local: o aproveitamento da mão de obra nativa.

Explicamos: Maragojipe é uma das cidades baianas com maior índice de analfabetismo. Difícil acreditar que o estaleiro absorva uma mão de obra com tão pouca escolaridade.

Este é um dos motivos pelos quais a UFRB é vital para o desenvolvimento da região. Somente a UFRB pode garantir a formação de trabalhadores da região. Este é um dos motivos pelos quais a federal do Recôncavo vem aumentando o número de cursos na área de engenharia. Sem mão de obra qualificada, dificilmente a região poderia absorver estes postos de trabalho, o que é de suma importância para assegurar que estes investimentos tragam reais benefícios à população.

De olho neste e em outros fatores é que o programa de alfabetização do Governo da Bahia, o TOPA, está presente em Maragojipe. A prefeitura de Maragojipe sabe que é preciso correr contra o tempo para assegurar a contratação de trabalhadores da histórica cidade.

Estaleiro é ótimo, mas sem educação, é apenas razoável.

Eis o desafio de nossos administradores, do povo do Recôncavo e da UFRB.


Zezéu Ribeiro de olho no Estaleiro Paraguaçu


Acabamos de receber um telefonema do deputado Zezéu Ribeiro que nos informa que estará presente na Audiência Pública que discutirá a implantação do Estaleiro Paraguaçu. Antes, o deputado estará em Alagoinhas, acompanhando o governador Wagner no lançamento e inauguração de diversas obras naquele município (duplicação de estrada, sistemas simplificados de abastecimento de água etc). Zezéu Ribeiro chama a atenção para o fato de o governador já ter visitado aproximadamente 400 municípios baianos.

O deputado disse que o Estaleiro Paraguaçu “é um empreendimento importante e temos que garantir a sua implantação, mas ele tem que assegurar uma sustentabilidade social e ambiental: as medidas mitigadoras no plano ambiental e as medidas de elevação do padrão sócio econômico da população local”. Para o deputado petista “é preciso garantir a capacitação dos moradores, pensar a habitação, o saneamento, a implantação de equipamentos de saúde, de escolas, centros de cultura e o respeito à diversidade local”.

O deputado cita as marisqueiras como um exemplo de sua preocupação. “Um empreendimento desta monta deve assegurar a melhoria da qualidade de vida de quem trabalha na obra, no estaleiro em si, mas também de quem exerce outras atividades, como as marisqueiras. Estas mulheres precisam ter condições adequadas de trabalho e o poder público tem que ser um agente preponderante para a elevação do padrão de vida, assegurando a valorização do produto e preservando o meio ambiente”, disse Zezéu Ribeiro.

Estaleiro Enseada do Paraguaçu


O Recôncavo esteve presente, em Maragojipe, na Audiência Pública (18/01/10) que discutiu e apresentou os resultados do Estudo de Impacto Ambiental e do Relatório de Impacto Ambiental do Estaleiro Enseada do Paraguaçu.Evidente que um investimento desta monta, que consumirá R$ 2 bilhões, não poderia ser cercado de unanimidade.

O Recôncavo apresentará aos leitores uma série de matérias sobre este assunto. Isso se deve ao fato de que o Estaleiro Enseada do Paraguaçu pode representar, juntamente com a consolidação da UFRB, um fator determinante para a modificação da realidade econômica e social da região. Por outro lado, se o projeto não for bem calçado em condicionantes ambientais e sociais que preservem o patrimônio natural, forneça a infra-estrutura urbana necessária para o crescimento populacional que ele acarretará e eleve a qualidade de vida da população local, o estaleiro poderia se tornar um peso para a comunidade de Maragojipe.

O fato é que o Estaleiro Enseada do Paraguaçu tem o potencial de mudar a face da economia do Recôncavo. Se o fará é outra história.

O Recôncavo vê-se na obrigação de aprofundar este debate. Por isso, começamos hoje uma série de reportagens, entrevistas e depoimentos sobre o assunto.

Começamos o debate com um trecho do discurso do Senhor Roberto Benjamin, Secretário da Secretaria Extraordinária da Indústria Naval e Portuária – SEINP.



Nenhum comentário: