sábado, 24 de abril de 2010

Marina tem princípios demais, avalia The Economist


O discurso eleitoral da pré-candidata do PV à Presidência, Marina Silva, chegou às páginas da revista britânica The Economist. "De vez em quando, surge um político que parece ter muitos princípios para ser jogado na briga canina eleitoral", diz a publicação, destacando que Marina "parece ser uma candidata desse tipo".

Em um breve perfil, a revista apresenta a senadora como "outra Silva" - em referência ao sobrenome do presidente Luiz Inácio Lula da Silva -, e menciona sua história no Acre e na campanha ambiental ao lado de Chico Mendes. Exemplifica ainda sua postura com sua saída silenciosa do Ministério do Meio Ambiente: "Ela se negou a criticar Lula publicamente", diz o texto. Na campanha presidencial, contudo, Marina faz uma leve oposição ao presidente, diz a reportagem, ao afirmar que o País precisa reduzir a carga tributária e ao criticar a política externa atual.

O principal tema de sua campanha, no entendimento da The Economist, é a defesa da responsabilidade moral do Brasil em se tornar uma economia de alta tecnologia e baixa emissão de carbono, como exemplo para outros países em desenvolvimento.

Marina deve chegar hoje a Washington para participar de eventos em homenagem ao Dia da Terra, celebrado na última quarta-feira. A candidata deverá se encontrar com políticos americanos ligados à causa ambiental. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

fonte:
Agência Estado

Uneb adia abertura de Concurso Público 2010‏


A Universidade do Estado da Bahia (Uneb) adiou a abertura das inscrições do concurso público para técnico e analista. Segundo informação da assessoria de imprensa da instituição, o edital será retificado. Uma versão atualizada do documento poderá ser divulgada nesta sexta-feira, no Diário Oficial e no site www.selecao.uneb.br/concursopublico. Salários, quantidade de vagas e cargos disponíveis poderão sofrer alterações. O edital divulgado na semana passada oferecia 310 vagas de níveis médio e superior com salários de R$ 977 (técnicos) e R$ 1.473 (analistas).

EDITAL: http://www.selecao.uneb.br/concursopublico/docs/edital.pdf

sexta-feira, 9 de abril de 2010

10 erros fatais em uma entrevista de emprego


Você já parou para pensar que o seu sucesso numa entrevista de emprego pode depender de alguns detalhes? Uns pequenos, outros nem tanto assim. Às vezes, os erros cometidos pelos candidatos a uma vaga de trabalho são inacreditáveis. Uma roupa mal escolhida, uma frase dita fora de hora... Para ajudar você a ser melhor sucedido nas próximas seleções, o Universia consultou diversos especialistas em recrutamento e seleção que falaram, afinal, o que põe tudo a perder quando você está frente a frente com o entrevistador.
Confira os dez erros fatais na entrevista de emprego:

1. Chegar atrasado
2.Usar roupas informais demais
3.
Não saber nada sobre a empresa ou o setor
4.
Expressar-se mal, com gírias e frases sem sentido
5.
Mentir sobre suas qualificações
6.
Falar mal do emprego ou do chefe anterior
7.Disputar espaço com o entrevistador
8.Vangloriar-se de suas conquistas pessoais
9.Não perguntar nada durante a entrevista
10.Demonstrar desequilíbrio emocional

fonte: Mariá Giuliese, Diretora-Executiva da Lens Minarelli e Especialista em Análise e Aconselhamento de Carreira

Reportagem Narrativa


Segundo Maria Helena Ferrari e Muniz Sodré em Técnica de reportagem: notas sobre a narrativa jornalística, “a reportagem é o lugar por excelência da narração jornalística”. Mas o que é reportagem? Fundamentada, sobretudo, na predominância da forma narrativa, a reportagem possui outros elementos relevantes.

1 - A humanização no relato dos fatos, pois gera identificação com as personagens na narrativa. A humanização se acentua quando a descrição é feita por um indivíduo que não só foi testemunha do acontecimento, mas também participou dele (fonte testemunha).

2 - Conforme a humanização aumenta, maior é a natureza impressionista do relato, outro aspecto significativo de uma reportagem, pois permite uma aproximação entre público e acontecimento, garantindo a verossimilhança, fundamental em uma reportagem. Todavia, não se pode confundir essa natureza com emotividade.

3 - A objetividade possível num relato jornalístico é essencial. Possível, porque não se pode falar em objetividade total, já que, mesmo tentando se isentar de opiniões, o jornalista é influenciado por seus valores e pelo contexto socioeconômico em que vive. A simples seleção de fatos e do que será relatado sobre eles já denota certa parcialidade. A objetividade pode ser entendida, então, como um estilo direto e conciso, que mantém o máximo de distanciamento possível. As informações precisam ser exatas e verdadeiras. Deve haver, portanto, uma narrativa fiel do acontecimento. A partir do que foi dito, pode-se dizer que uma reportagem deve oferecer ao receptor a chance de fazer sua própria avaliação.

De modo geral, é possível dividir a reportagem em três tipos principais:

1) REPORTAGEM DE FATOS (fact-story): descrição objetiva de um fato. Os acontecimentos são narrados em sucessão, a partir de uma ordem de importância, segundo a forma de pirâmide invertida.

2) REPORTAGEM DE AÇÃO (action-story): relato que possui um certo movimento e se inicia sempre pelo dado mais atraente para depois descrever detalhes. Ela objetiva envolver o leitor em sua descrição. Em muitas situações, o repórter participa da narrativa, deixando de ser apenas um observador. Quando o jornalista se passa por outra pessoa para obter informações ou quando está presente em filmagens de momentos que oferecem perigo tem-se justamente casos em que ele é personagem da narrativa.

3) REPORTAGEM DOCUMENTAL (quote-story): é o relato documentado, que possui declarações que ajudam a esclarecer o assunto discutido. Por aproximar-se da pesquisa, este tipo de reportagem assume características de cunho pedagógico. Bastante comum no jornalismo impresso, é utilizado também na televisão e no cinema.
Esta divisão, no entanto, não ocorre de forma rígida. Na verdade, estes elementos geralmente se misturam, sendo que um dos tipos é predominante na narrativa.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Terninhos femininos ganham vez no Inverno 2010


O popular terno, derivado do vestuário masculino, sai do uso exclusivo dos homens para aquecer o Inverno 2010 das mulheres mais antenadas!

A tendência do terninho feminino se espalhou nos mais diversos Desfiles de Moda desta temporada, sendo peça coringa do guarda roupa para as mulheres de todas as idades.

O item é indispensável para qualquer ocasião, principalmente pra aqueles que trabalham em um ambiente formal, mas nada impede que a peça seja usada em festas ou no cotidiano de forma mais despojada.

Partindo dos novos conceitos de alfaiataria feminina e as tendências de androginia, vistas também nas passarelas de Moda, o terninho básico sai dos modismos antigos e desgastados com o tempo e passa a ter novas combinações para um estilo atemporal.

Para adotar o terninho preto no seu dia a dia, basta deixar sua criatividade agir! A peça é muito flexível, podendo ser usada de várias maneiras.

O terno pode ser combinado com calças jeans skinnies ou até mesmo as boyfriend, acompanhados de saltos super poderosos ou com as ankle boots para aquecer a estação mais gelada do ano!

Vestidos, saias ou shorts também podem ser combinados com os terninhos básicos. Estes podem ser mais curtos, na altura da cintura ou logo abaixo ao quadril.

Lembre-se que as sobreposições estão em alta, e o terninho preto pode ser acompanhado de outros casacos mais finos, camisas de manga longa ou de coletes de alfaiataria. Abusar de cachecóis ou lenços também está liberado para o Inverno 2010!

Os terninhos mais modernos podem vir com ombreiras, sendo mais estruturados, perfeito para o cotidiano das mulheres mais ligadas à moda! Outros modelos podem estar repletos de tachas ou rebites de metal, seguindo a Tendência Rock, para as jovens mais descoladas.

Os clássicos podem se tornar peças mais despojadas dobrando as mangas ou desabotoando os botões, deixando o pescoço à mostra carregado de correntes pratas ou douradas.

Há muitas maneiras de adotar o terninho preto no cotidiano feminino! Essa tendência promete invadir o Inverno 2010 com muito estilo. Não fique de fora!

Consultora de Moda: Fabíola Taques Batista

Como escolher a cor certa na hora de mudar o visual?


As cores e nuances dor produtos de coloração para cabelos oferecidos pelo mercado são extremamente diversificadas. Tanto que fica difícil escolher uma cor para mudar o visual. Nessas horas, é importante levar em conta o tom de pele, cor dos olhos, a personalidade e o estilo de cada pessoa. Além disso, deve-se lembrar que a cor natural do cabelo influencia no resultado final da coloração e por isso é importante verificar a tabela de resultado de cor, que fica na embalagem dos produtos.

Existem basicamente três tipos de produto para colorir as madeixas: as tinturas permanentes, as semi-permanentes e os tonalizantes ou colorações temporárias. A primeira é à base de amônia e possui longa duração. Durante a aplicação ela é misturada com água oxigenada para abrir a cutícula dos fios e penetrar no córtex. Ela altera a cor dos pigmentos naturais e é a única que cobre totalmente os fios brancos. Já a semi-permanente tem um oxidante mais suave, uma emulsão reveladora. Ela agride muito menos o fio e desbota com mais facilidade, pois não atinge o córtex. Serve para realçar a cor natural dos cabelos, escurecer ou criar reflexos; não clareia e apenas disfarça os cabelos brancos. Os tonalizantes agem apenas na superfície da fibra capilar e desbotam conforme as lavagens. São indicados para cabelos com química, pois não penetram nos fios. Ajudam a dar brilho e também disfarçam os cabelos brancos.

Eleito o produto mais apropriado para mudar a cor dos cabelos, é hora de escolher qual o tom que será utilizado. Para as mulheres de pele branca tudo cai bem, só depende da proposta, se ela pretende ficar mais séria, mais sóbria ou sensual. Os tons de loiro e vermelho ficam muito bem nas peles claras, mas deve-se levar em conta o biótipo e a idade da mulher. Para uma menina mais jovem, por exemplo, o cabelo preto fica bom, mas para uma mulher mais velha, não. As brancas que optam pelo loiro podem escolhe tons mais quentes para valorizar a pele, mas as jovens podem abusar de qualquer cor. Já as mais velhas ficam melhores com tons de marrom, castanho e vermelho.

Em peles morenas ou intermediárias, o marrom, o castanho dourado, o castanho claro e o vermelho são os que mais combinas. As negras têm algumas restrições; devem evitar os tons claros e optar por cores quentes como o vermelho, o acaju, marrom e acobreado.

As orientais não devem fugir muito dos tons escuros, como o preto, o castanho, o acaju e o acobreado, que combinam mais com a pele amarelada.

Analisando essas dicas é mais fácil acertar na tonalidade que valoriza mais a pele. E para quem for colorir os cabelos pela primeira vez, o mais indicado é pedir ajuda a um profissional de confiança.

fonte: Manuela Casali Cordeiro
Redação

Outono e Inverno na maquiagem. E agora?


A WGSN, líder mundial em pesquisa e tendências de moda destacou quatro estilos diferentes como tendências de inverno 2010.

Ao contrário das roupas, que se mostraram mais sóbrias, a maquiagem e os cabelos se destacaram em quatro looks diferentes segundo as passarelas internacionais.

Grunge:
Apresenta pouca maquiagem, aparentando um rosto natural. Os olhos são marcados com sombra cinza claro. A boca não é marcada, usando somente tons de nude, ou seja, nada. Os cabelos aparecem compridos, repartidos ao meio, bagunçados e lisos.


Fierce:

Ao contrário do grunge este apresenta glamour excessivo. Os penteados são esculpidos remetendo aos anos 1980. São penteados para trás, muitas vezes formando coques e topetes exagerados. Não há mechas caídas na face, estas são sim excessivamente presas aos penteados.
Os olhos são bem marcados com sombras em cores mais fortes, como cinza escuro e azeviche, que cobrem das sobrancelhas até as laterais do nariz. Os lábios podem ser em tons de nude como na beleza grunge, mas também bem delineados em tons de vermelho como o escarlate.


Esculpido:

Este visual é construído com cores terrosas e metálicos queimados, destacando os elementos do rosto. As sobrancelhas são fortes e lineares, bem marcadas. As bochechas são esculpidas com blush e os olhos são contornados, podendo se prolongar até as têmporas. Os cabelos são severamente repartidos tanto lisos como encaracolados e se apresentam em tons mais claros como mel e caramelo.


Refinado:

A pele se apresenta perfeita e acetinada. Os lábios, vermelhos e bem delineados, são o grande destaque da maquiagem. Nos olhos, rímel apenas nos cílios superiores e somente uma camada. Os cabelos são repartidos de lado, podendo ser presos em coques ou enrolados no topo da cabeça. É a imagem da perfeição.

fonte: WGSN