sábado, 27 de fevereiro de 2010

FIEB/SENAI oferece pós graduação em Gestão de Projetos


Objetivos:

Formar profissionais altamente qualificados para atuar nas áreas de Gerenciamento de Projetos, capacitando-os para:
• Planejar, avaliar, implantar, manter e gerir projetos;
• Desenvolver a capacidade empreendedora;
• Coordenar equipes de trabalho, exercendo ações de liderança;
• Promover inovação tecnológica visando a melhoria da gestão de projetos das mais variadas áreas de competência;
• Melhorar a gestão de indicadores produtivos com capacidade de realização de análise crítica;
• Preparar o profissional em todas as competências necessárias para a Certificação PMP® - Project Management Professional.

Disciplinas:

Introdução a Gestão de Projetos
Planejamento Estratégico
Gestão de Escopo
Gestão de Custos
Gestão Financeira e Análise de Risco
Negociação e Gestão de Contratos
Gestão da Qualidade
Gestão de Pessoas em Projetos
Gestão Logística em Projetos
Marketing e Comunicação em Projetos
Empreendedorismo
Métodos Quantitativos
Ferramentas Computacionais em Gestão de Projetos
Aspectos Humanos em Projetos
Teoria das Restrições em Projetos
PFC – Projeto de Final de Curso

Carga Horária:

420 horas

Investimento:

18 parcelas de R$ 400,00 = R$ 7.200,00
À vista com 10% de desconto = R$ 6.480,00

Horário:

1 semana por mês. Segunda a sexta - 18h50 às 22h30.

Informações: (71) 3534-8090 / Av.Orlando Gomes, 1845 – Piatã

Facom-UFBA lança especialização em Jornalismo Científico e Tecnológico


O Curso de Especialização em Jornalismo Científico e Tecnológico pretende formar profissionais especializados no exercício da divulgação científica, capazes de elaborar produtos de comunicação para imprensa brasileira, empresas de tecnologia e inovação, divulgação de projetos de empreendedorismo, elaboração de políticas de comunicação para as assessorias de instituições de pesquisa.
Terá duração de 24 meses, estando previsto o seu inicio para março de 2010 e seu término para dezembro de 2011. O Curso é uma realização da Faculdade de Comunicação da UFBA em colaboração com a Pós-Graduação em Cultura e Sociedade da FACOM/UFBA e Pós-Graduação em Ensino, Filosofia e História das Ciências do Instituto de Física da UFBA-UEFS. Tem ainda como parceiros a Associação Brasileira de Jornalismo Cientifico - ABJC, a FTC Salvador (Faculdade de Tecnologia e Ciências), Fapesb e a Fiocruz-Bahia.
  • O curso possui um total de 14 disciplinas teóricas e três oficinas práticas. Compreende, ainda, uma série de seminários onde serão debatidos temas sobre saúde, biotecnologia, meio ambiente, ciência, tecnologia e inovação e sua interface com as mídias.
  • As disciplinas teóricas serão ministradas a cada 15 dias com carga horária total de 24 h/a. As oficinas serão ministradas semanalmente com carga horária total de 48 horas.
  • A frequência às disciplinas e oficinas do Curso é obrigatória, tendo como valor mínimo 75% (setenta e cinco por cento) das aulas ministradas.
  • O aproveitamento, em cada disciplina do Curso, será medido e expresso segundo os sistemas de avaliação de cada professor (a) do curso.
  • O Curso oferecerá 40 (quarenta) vagas.
  • O curso será pago no valor de 380,00 reais mensais que serão investidos no pagamento de funcionários administrativos da secretaria, técnicos em manutenção de equipamentos, pessoal de apoio, técnicos especializados e compra de materiais necessários para o bom funcionamento do curso ao longo de 24 meses.

Devido aos feriados do carnaval e aos problemas tecnicos decorrentes do servidor da UFBA que esteve fora do ar durante a útima semana, as inscrições estão prorrogadas até o dia 28 de fevereiro.

Aacessar o endereço www.gru.ufba.br/gru/imprgru.dll e gerar o boleto de pagamento:

  • Clicar no nome do curso: Curso Especial Jornalismo Cientecno/Facom (se
    encontra no meio de vários outros cursos da UFBA);
  • Colocar CPF e nome completo do(a) candidato(a);
  • Imprimir o boleto (já deverá constar o seu nome e o valor de 50,00 reais)
  • Pagar no Banco do Brasil;
  • Escanear o recibo pago e enviar para os seguintes e-mails: jorcient@ufba.br;
    jorncientec@gmail.com; crismporto@gmail.com
  • Após todo procedimento enviar para os mesmos e-mails o currículo e a carta para à coordenação, expressando o interesse do (a) candidado (a) no curso.

Informações:
E-mail: jorcient@ufba.br
jorncientec@gmail.com


Sucesso e Valorização. Como?


Nós precisamos ser notados pelos outros seja em casa ou no trabalho, para isso devemos estar sempre atentos as nossas atitudes, principalmente no ambiente profissional.

Atualmente os profissionais devem atender as necessidades de seus clientes internos e/ou externos.

Geralmente os clientes internos são colegas de trabalho e superiores hierarquicos, enquanto os externos são as pessoas que compram os produtos e os serviços das empresas que representamos.

A valorização profissional é algo que acontece de dentro para fora, ou seja, deve partir da própria pessoa que deseja ser reconhecida. Entenda que você deve ser o melhor naquilo que você faz, seja qual for a sua profissão, e de preferência que você goste daquilo o que você estiver fazendo.

Geralmente as pessoas esperam ser reconhecidas, mas não fazem as coisas de maneira eficaz, detendo-se apenas no que é eficiente.

Embora as palavras mencionadas pareçam ter sentido idêntico elas diferem e muito. Quando você faz algo de maneira eficiente, você faz a coisa certa, do mesmo modo quando você faz algo eficazmente, você o estará fazendo de forma certa com menor tempo e custo.

A valorização ocorre naturalmente quando as pessoas trabalham com amor e da melhor forma possível. Não contente-se com o bom. Faça-o, mas aos poucos o melhore. Em tudo o que fizer aplique o princípio da melhoria contínua.

Seja você mesmo. Valorize o seu potencial e lembre-se de valorizar-se cuidando do seu visual. Pois não basta apenas bom conteúdo, a embalagem deve ser cuidada. Seu marketing deve ser trabalhado se quiser desenvolver-se e promover sua valorização profissional.

Esteja atento às mudanças que ocorrem ao seu ambiente e no mundo, pois elas não acontecem da noite para o dia, faça isto lendo revistas, jornais, livros e observe também as pessoas.

Algumas dicas que penso serem pertinentes:

1. Verifique sua motivação para o trabalho diariamente, só você pode saber o que precisa ser melhorado.

2. Não se detenha no lugar comum, numa situação confortável. Tenha sempre um desafio novo em sua vida e você terá uma grande ajuda do universo para conseguir o que deseja.

3.Seja um profissional exemplar trabalhando com amor e dedicação sem esquecer de procurar o crescimento pessoal através de cursos, livros, revistas, jornais etc.

4.Busque desenvolver seu marketing pessoal dando maior atenção ao seu modo de vestir, de falar e ouvir as pessoas, sua higiene pessoal e lembre-se sempre de ter um cartão de visitas à mão.

5.Seja “Você S.A.” - desenvolva seu potencial, trabalhe de forma que você seja indispensável a sua função.

6.Tenha bom humor, lembre-se de agradecer por ter acordado neste dia.

7.Seja feliz no que faz, não importa em que profissão, se não está feliz mude ou cairá no espaço comum.

Como disse Lair Ribeiro no título de um de seus livros “O sucesso não ocorre por acaso” e realmente é verdade, pois temos que suar muito para conseguir ser respeitado e conhecido.

Dizem que precisamos de 90% de transpiração e 10% de inspiração.

Alguns dizem que não, mas a verdade é que nós queremos ser notados como pessoas especiais, únicas como de fato somos, embora não demonstremos.

Isto acontece porque nos ensinaram quando crianças a termos comportamentos iguais para sermos aceitos, então esquecemos como ser nós mesmos, e temos que reaprender a sermos nós quando chegamos à idade adulta.

escrito por : Rosa de Catia Souza Silva - Bacharel em Secretariado Executivo e Especialista em Assessoria Gerencial.

Qual a importância da Valorização Pessoal ?


O segredo de uma vida com qualidade está no que e como aprendemos, e no modo como agimos. Tudo em nossa vida é aprendizado e ensino. Só podemos ensinar aquilo que aprendemos, seja em conteúdos, seja principalmente em valores. Então a questão central é como aprender melhor para viver e conviver melhor. E o processo todo começa na família, depois na escola e finalmente na comunidade ou na sociedade. Tudo se relaciona, não existe nada neutro em nossas vidas, portanto somos responsáveis pelo que pensamos e fazemos. Precisamos valorizar o positivo e trabalhar e integrar o negativo. Ver, perceber, ouvir e escutar com todos os sentidos o que a vida nos dá, mesmo nas coisas difíceis de compreender. Sempre temos escolhas, possibilidades, alternativas, detalhes, tudo tem sua importância em cada momento de nossas vidas. Nossas escolhas são conseqüências do nível de conhecimento, do que observamos e do que percebemos. Dependem de como está sua casa interna, como você está consigo próprio, como você gosta e se sente bem na sua própria companhia. Algumas pessoas muitas vezes sofrem por longos períodos porque aprenderam a sofrer, foi a única opção oferecida. Os recursos e soluções para nossos problemas estão dentro de nós e não fora. Se tivermos uma predisposição para aprender com as situações difíceis, iremos conseguir transformar problemas em soluções e dificuldades em recursos. Às vezes é preciso saber esperar, administrar a ansiedade e aprender a confiar na capacidade auto-reguladora dos seres humanos. E o mais importante, é cada um descobrir o seu valor; é aprender a dirigir o viver para a competência e não para as falhas; para os recursos, não para as fraquezas e para as possibilidades, não para as limitações.


escrito por Juliana do Carmo Saraiva - Psicóloga
E-mail: jucsaraiva@bol.com.br
Graduada em Psicologia (PUC - Campinas)
Pós -Graduação em Psicologia Hospitalar (Unisa - Universidade Santo Amaro)
Especialista em Psicologia da Saúde (Famerp - Faculdade de Medicina de Rio Preto)

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Escova contribue para beleza dos cabelos

fonte: Sylvio Rezende
/Cabeleireiro


Escovar os cabelos já faz parte dos dia a dia das mulheres. O problema é que muitas esquecem que esse detalhe pode estragar os fios. Os cuidados, principalmente com a escolha da escova, são essenciais para manter os cabelos saudáveis.

Escovação:

Fatores positivos: o simples ato de escovar os cabelos leva o óleo da raiz até as pontas, evitando que os fios fiquem ressecados, já que nos cabelos longos ou encaracolados o óleo natural acaba demorando mais para "hidratar" por completo os cabelos.

Fatores negativos: a maioria das mulheres, na hora de escolher uma escova, apenas olha as mais bonitas, vibrantes ou coloridas. Mas, em alguns casos, não essas que vão colaborar com a saúde dos seus cabelos:


Na hora da compra:

Alguns detalhes te ajudam a fazer a escolha certa:

- se você tem cabelos longos opte sempre por uma de plataforma quadrada, elas não quebram, e nem machucam o couro cabeludo

- caso tenha cabelos curtos use escovas de cerdas com bolinha nas pontas, isso protege a raiz, não machucando o couro. As de alumínio também são ótimas, mas prefira as finas que não deixam os cabelos volumosos

Para comprar uma escova, escolha junto com seu cabeleireiro, peça para ele te indicar o tamanho ideal, o modelo, e uma boa marca. Na minha opinião as melhores escovas e que apresentam mais tecnologia são as das marcas "Condor" e "Prada".

Mitos que atrapalham a beleza do cabelo


fonte: Site Minha Vida

Cortar o cabelo na fase certa da lua faz com que ele cresça?

Não. O cabeleireiro afirma que a lua não interfere na beleza dos fios. "Apesar do misticismo em volta da Lua, até hoje ninguém conseguiu provar a verdade dele. O ideal é cortar o cabelo a cada três meses, não importa a estação do ano ou a fase da Lua".

O cabelo se acostuma com o xampu depois de 6 meses de uso?
Não. Quem causa prejuízo para o cabelo não é o xampu, mas o modo com que você lava os fios. "O xampu limpa e pronto. Mas algumas pessoas não retiram totalmente os produtos do cabelo nas lavagens, ficando com a impressão de que o xampu não funciona mais", diz Gennaro.

Lavar o cabelo todos os dias causa a queda?
Não. Não existe nenhuma ligação entre lavar os cabelos todos os dias e a queda dos fios, como explica o cabeleireiro da Condor. "O certo, realmente, é lavar todos os dias, a não ser que você tenha algum problema, como ferimentos no couro cabeludo", afirma.

Arrancar os fios brancos colabora com o aparecimento de outros?
Não. Se você arrancar um fio branco, pode ficar tranqüila, não vão nascer mais sete. "Os fios brancos aparecem sendo arrancados ou não, o fato de arrancar um cabelo branco só vai contribuir com a dor, pois a raiz desse fio irá imediatamente produzir outro fio com as mesmas características".

Água fria deixa os fios mais bonitos e saudáveis?
Sim. A água fria não abre as cutículas dos fios, deixando uma aparência mais bonita para o cabelo. "A temperatura da água fria danifica menos os fios porque ela não consegue abrir as cutículas. Com isso, o brilho fica mais evidente além de ressecar menos e de não deixar os cabelos oleosos demais", explica Gennaro Preite.

Condicionador na raiz deixa os cabelos mais oleosos e dá caspa?
Sim. O condicionador colabora com o aumento da oleosidade e, como tampa os poros capilares, aumenta a incidência de caspa. "Existem cabelos que possuem raiz oleosa e o condicionador aumenta ainda a produção de sebo. Já a caspa pode aparecer em casos avançados, já que o condicionador apenas irá fazer o couro cabeludo ficar com excesso de umidade, tampando os poros capilares".

Esfregar as pontas com shampoo faz com que elas fiquem mais ressecadas?
Não. O cabelo deve ser lavado por inteiro. "Se for feito com cuidado, podemos esfregar as pontas, sem riscos de prejudicar a beleza dos fios. A lavagem deve ser feita por partes, começando pela raiz, descendo até o comprimento e, por último, chegando às pontas, mas essa esfregação deve ser feita com a palma das mãos, sem colocar as unhas", alerta o especialista.

Colocar anticoncepcional no xampu faz o cabelo crescer mais rápido?
Não. "Os hormônios desses remédios são sintetizados, ou seja, precisam entrar na corrente sanguínea para serem absorvidos. Postos no xampu, isso não chega a acontecer. O máximo é ter irritação no couro cabeludo", explica o especialista.

O stress provoca queda de cabelo?
Sim. O estresse pode levar até mesmo à calvície, já que absorve a energia do corpo, como explica o cabeleireiro oficial da condor. "O stress absorve as energias que estão estocadas para outras atividades, além de liberar radicais livres que matam nossas células. Como o cabelo necessita de uma grande quantidade de vitaminas e sais minerais para permanecer em bom estado, ele sofre quando há uma queda desses nutrientes, começa a enfraquecer e a cair."

" Me leva paz de Deus, me leva" disse Mariene de Castro

Quem esteve nesta sexta (19) no Centro Cultural da Barroquinha pode conferir a festa de encerramento do Projeto Santo de Casa 2010.
A participação de Riachão e Nelson Rufino tornou ainda mais bonita a apresentação de Mariene de Castro. A cantora deixou evidente em seu olhar e nas letras do seu repertório a "bandeira" de sua luta pela valorização do Samba de Raiz.
As próximas apresentações de Mariene de Castro estam agendadas para dia 28 no Pêlo com a Didá e na Ressaca do Samba dia 14 de março.




Cordeiros.Profissionalização ou contradição no Carnaval ?


“Quem sou eu? Quem sou eu?
Fera ferida, fogo na batida eu sou

Bicho do mato, não mando recado
Tá pra nascer um sujeito, pra colar do meu lado...”

escrito por Léo ( Parangolé)

* Cordeiro : homem ou mulher que trabalha segurando uma corda para "supostamente" proteger os associados de um bloco carnavalesco pela quantia diária de R$26.20.

Patrícia Bernardes

domingo, 7 de fevereiro de 2010

A "topada" da educação na Bahia


Olá amigos... Gostaria de registrar aqui minhas indignações. ÓTIMA matéria no Jornal A TARDE do colega João Pedro (fragmento abaixo)

" Implantado em outubro de 2007, o Topa nasceu com a meta de alfabetizar um milhão de baianos até dezembro de 2010. O programa realizou as duas primeiras etapas e atendeu a 460 mil alunos, segundo a Secretaria de Educação. A terceira etapa está com 482 mil matriculados e funcionará concomitantemente à quarta, que deve abrir para matrículas em março e incluir mais 300 mil alunos. Mais do que concretizar uma meta estabelecida, o Topa tem como desafio superar os entraves que resultaram em baixas execuções física e orçamentária do programa nos últimos dois anos. Segundo dados do Portal Transparência Bahia, da Secretaria da Fazenda do Estado, a execução financeira do Topa em 2009 foi de 36,16%, com a aplicação de R$ 23,07 milhões, dos R$ 63,82 previstos no orçamento.

A maior parte dos recursos é repassada pelo Ministério da Educação, que custeiam da formação dos professores e dos coordenadores, à compra de merenda escolar, material didático e pedagógico, além de transporte para os alunos.

Deficiências - Em Amaralina, a Associação de Mães e Adolescentes Carentes do Nordeste foi uma das sedes da segunda etapa do Topa. Foram oito meses de aula sem transporte, merenda, nem material escolar para os alunos. No Calafate, a situação foi a mesma: “Nos prometeram um kit com mochila, lápis, borracha e caderno para cada aluno. Como não chegou, a gente foi levando com o material que os próprios alunos traziam”, explica Alberto Cerqueira, coordenador do Topa na região.

Segundo a Secretaria de Educação, percalços no processo licitatório atrasaram a entrega do material. “As empresas que contratamos entregaram material de baixíssima qualidade, mandamos devolver”, explica a coordenadora-geral do Topa, Francisca Elenir. O resultado foi um gasto de R$ 5,5 milhões – 97,81% do orçado – para atender a somente metade dos alfabetizandos.

Os números de 2008 revelam uma execução ainda menor. Segundo o relatório de contas do Tribunal de Contas do Estado, a distribuição de material didático ficou em 46,32%, a formação foi dada a 8.101 dos 25.479 alfabetizadores. Já o suprimento de material ficou em apenas 18,38%, atendendo a 80 mil dos 435.250 alfabetizandos. O transporte escolar, com orçamento de R$ 3,1 milhões, sequer foi iniciado. Os dados são refutados pela Secretaria de Educação. “Estes dados não conferem”, disse Francisca Elenir.

As principais queixas, no entanto, ficam por conta da falta de pagamento ou atrasos nas bolsas de alfabetizadores, coordenadores e tradutores da língua de sinais. Estes repasses são feitos diretamente aos bolsistas pelo MEC, através da Fundação Nacional para o Desenvolvimento da Educação (FNDE), de acordo com os lotes de recursos. “Em dezembro, o MEC mandou comunicado informando que os lotes de pagamento não tinham sido liberados, porque eles estavam sem dinheiro”, explica Francisca Elenir.

A TARDE apurou casos de uma alfabetizadora que não recebeu uma bolsa sequer durante todo o ano passado e de outras duas que ainda têm parcelas por receber. A reportagem questionou o MEC sobre o assunto, mas não houve resposta até o fechamento da edição.

Denúncias - A coordenadora- geral do Topa admite que já foram constatados casos de fraude no programa e cita o caso dos municípios de Caldeirão Grande e Lage dos Negros, em que as entidades cobravam o repasse de parte da bolsa dada a coordenadores e alfabetizadores. “Este é o maior programa de alfabetização do País. Obviamente, as maiores denúncias vão estar aqui, os maiores problemas vão estar aqui. Temos uma capilaridade muito grande”.

Também foram realizadas denúncias sobre a existência de turmas fantasmas no município de Medeiros Neto, que Francisca Elenir garante que não são verdadeiras e sim, fruto de divergências políticas locais. No entanto, não garante a inexistência de outros casos de turmas fantasmas: “Pode ter acontecido, mas não tive conhecimento. Se detectarmos, suspendemos as bolsas e repasses”.

As denúncias de turmas fantasmas resultaram numa auditoria, realizada pela FNDE na Bahia no final do ano passado. Segundo a assessoria de comunicação da fundação, os auditores não encontraram irregularidades e por isso não foi feito um relatório da investigação."

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Projeto Recuperart ajuda ex-detentos em Salvador

video

Autoperdão!Um bem necessário


O ser humano luta para diferenciar-se e distinguir-se do todo na busca de sentido e reconhecimento de uma identidade própria (Eu), mas o paradoxo é que sofre com a sensação de não fazer parte do todo, de não ser igual aos outros e, portanto, muitas vezes sente-se inferior e inadequado. Como seres humanos somos todos iguais. Carregamos igualmente a herança genética e psicológica do desenvolvimento filogenético. Portanto, a possibilidade de expressão desta herança é infinita. O que nos distingue enquanto indivíduos são as proporções com que expressamos esta herança, por isso cada indivíduo é um e único. Em conseqüência disso, nossa vida nada mais é do que a expressão de quem somos. Se você vive uma vida que você considera não ser boa, veja a sua cota de participação nela e perceba o quanto e como você se posiciona. O quanto você se dá ao direito de expressar o que pensa e o que sente realmente? O autoperdão se encaixa aí: na capacidade da auto-aceitação. Aceitar que a forma de expressar o ser humano que somos não é certa nem errada e, sim, única. Autoperdão não tem nada a ver com autocondescência. Autocondescência tem uma pitada de autopiedade, pois a pessoa se perdoa falando assim: Ah, mas coitado de mim, eu não podia fazer diferente. A culpa é do outro! Na auto-condescência a culpa por não dar certo determinada situação é do outro. Foi o outro que não facilitou, foi o outro que não teve boa vontade, foi o outro que exigia demais... e por ai vai no seu pseudo autoperdão... Autoperdão é assumir quem você é: nem melhor nem pior do que ninguém. Não tem julgamento! Saber que fez o seu melhor naquele momento. Consiste em falar o que sente e o que pensa, porque é realmente o que sente e o que pensa; dando-se ao direito de posicionar-se diante das situações da sua própria vida. Para que possamos nos compartilhar com o outro e com o mundo precisamos ter uma noção clara de quem somos (autoconsciência) e quais são nossas necessidades físicas, intelectuais, espirituais e psicológicas para que possamos colocar quem somos na forma mais fiel possível e requisitar o que precisamos do meio ambiente e das pessoas. Por exemplo, se você for possessivo não adianta fazer o tipo liberal porque a pessoa que estiver consigo agirá livremente e você não se sentirá feliz, e, normalmente, terá crises de ciúmes incompreensíveis para o outro, que tem de você uma imagem e um discurso de O liberal. O contrário também é verdadeiro. Se você é uma pessoa que precisa de liberdade não adianta buscar relacionamentos que exijam grande comprometimento porque, com certeza, se sentirá preso e sufocado pelas exigências óbvias que virão. Ao perdoar-se, a pessoa pára de exigir de si mesma aquilo que ainda não está pronta para dar, bem como pára de se culpar por algumas bolas fora que dá. Pára de se auto-exigir e dar ao outro ou para o mundo o que acredita que estão exigindo. É a libertação da ditadura auto-imposta que se acredita vir de fora. O processo do autoperdão começa tirando-se os deverias e os terias do seu dicionário e cotidiano. É dizer para você mesmo: Eu não tenho que... nada!, Eu não devo fazer... nada!. Aceitar que têm necessidades físicas, intelectuais e emocionais distintas das dos outros; e mais, aceitar que tem todo o direito de satisfazê-las, desde, é lógico, que não interfira nem invada os direitos do outro. A ética não se aplica apenas nas relações interpessoais, mas, também, na relação intrapessoal: se você não respeita seus limites nem se perdoa por tê-los, você está sendo antiético consigo mesmo. Como pode haver relacionamentos éticos em sua vida se você não tem consigo mesmo? Ser diferente é, muitas vezes, percebido como der inferior e inadequado e portanto, muitas vezes, as pessoas se envergonham de quem são. Por isso usamos máscaras (que Jung chamou de Personas), que consideramos aceitáveis porque queremos se amados e jogamos no fundo de nós mesmos nosso verdadeiro Eu. Essa atitude leva consigo a auto-estima e o autovalor, pois nunca conseguimos a real satisfação vinda do reconhecimento do outro sobre o nosso Eu verdadeiro, porque o que conseguimos, no máximo, é um feedback, positivo ou negativo, sobre o que mostramos, nossa Persona. Vem daí a eterna sensação da falta de amor. Essa sensação de falta de amor não é porque não se tem o amor das pessoas, mas sim porque não se tem auto-amor, pois, por alguma razão, queremos ser perfeitos e não nos perdoamos por não sê-lo. Por isso, autoperdão tem a ver com auto-aceitação. Autoperdão é viver de bem consigo mesmo.


fonte:
Maria Aparecida Diniz Bressani é psicóloga e psicoterapeuta Junguiana,
especializada em atendimento individual de jovens e adultos,
em seu consultório em São Paulo.