quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Pressão para emagrecer ?


fonte: Site Bolsa de Mulher









Começou com uma cara feia na hora da sobremesa. Depois ele sugeriu que você se matriculasse na academia. Até que um belo dia ele se virou para você e disse com todas as letras que gostaria que você emagrecesse. Que bomba - e não é de chocolate! Tem mulher que aceita numa boa e começa a dieta no dia seguinte. Tem mulher que não abre mão de comer um monte de coisas gostosas e prefere abrir mão do namorado.

Conheça os diferentes tipos de parceiro e de "pressão" para emagrecer

Tipo: sincero

É senso comum dizer que casar engorda: o casal fica em casa, curte um vinhozinho, um fondue, um queijo, uma lasanha no domingo e, quando se dá conta, o ponteiro disparou na balança. Aconteceu com a publicitária Milene P., 31, que conheceu o marido magrinha e acumulou alguns quilos depois do casório. "Um dia ele me chamou pra conversar e disse que não estava satisfeito com o meu novo corpo. Disse que estava perdendo a atração sexual por mim e pediu para eu emagrecer", conta ela, que na hora ficou chateada, mas depois admirou a franqueza do marido.


Milene entendeu o toque como um meio de fazer o casamento ter vida longa. "Estávamos de viagem marcada e lá comi tudo o que tinha direito, como uma despedida. Em compensação, quando voltei pra casa, marquei nutricionista e contratei um personal", conta ela, que afinou a silhueta rapidamente. "As minhas amigas nem me reconheciam de tão magrinha que fiquei. E a nossa vida sexual foi a mil: sexo todo dia - o que também me ajudou a emagrecer", sorri ela, feliz com o corpo e com o casamento.

Tipo: regulador de comida

Dizer que o outro está gordinho e precisa emagrecer não é tarefa fácil. É uma arte na qual nem todo mundo é expert. O namorado da dentista Leila F. apontou para uma obesa na rua e insinuou que era assim que ela ficaria caso continuasse comendo tanta massa e doce. "Que mulher gosta de ouvir uma coisa dessas? Além do mais, foi uma tremenda injustiça. Eu preciso perder cinco quilos no máximo. Três já me deixariam satisfeita", diz Leila, ciente de que não é nenhum balofa - 1,65m e 60kg. O problema é que o namorado passou a agir como se ela fosse.

Super chateada com a situação, Leila desabafa: "É um saco, ele fica me regulando, pergunta se tenho certeza de que vou comer sobremesa e dá outras indiretas que me tiram do sério". E aconselha: "Nada pior que um namorado que regula a sua comida. Ele tem que te achar linda. Se não, não serve. É melhor trocar de namorado", acredita, farta das insinuações do rapaz.

Tipo: incentivador

O marido da usuária do Bolsa de Mulher Bella Flore chega em casa cheio de remédios para ela emagrecer. Pensa que ela fica chateada? Nada disso! "Meu marido me dá muito apoio e produtos de dieta. Estou fazendo a dieta e já perdi 3kg em duas semanas", conta ela, que acha um barato ter a ajuda do parceiro. Ele costuma perguntar qual foi o cardápio do dia. Bella Flore acha importante contar com um apoio na hora de emagrecer. "A iniciativa para perder peso tem que ser nossa em primeiro lugar, mas é sempre bom ter incentivo de alguém", defende ela.

Idade X peso

A psicóloga formada pela USP, psicoterapeuta individual e terapeuta de casais, Kelen de Bernardi Pizol, lembra que muitas vezes a rotina do casal - fazer programas com comida, ir mais a restaurantes - pode levar a mulher a ganhar peso. "Não há uma relação direta. Com a idade, o metabolismo fica mais lento, muitas pessoas acabam engordando um pouco e, no decorrer do relacionamento, ambos podem ganhar uns quilinhos", explica Kelen, acrescentando que, depois da gravidez, há mulheres que têm dificuldade ou não voltam ao peso anterior.


Segundo Pizol, o aumento de peso pode ser um problema quando o parceiro tem preferência por magras: "Se era magra no início do relacionamento e veio a engordar, isso pode incomodar e até afetar o desejo do parceiro. Mas é algo que varia de homem para homem: há os que não ligam e até gostam que a mulher ganhe peso". A psicóloga salienta que ter as medidas criticadas pelo companheiro não é uma sensação boa. "A mulher pode ficar chateada, magoada ou com mais ciúmes, pela insegurança causada", afirma a psicóloga, lembrando que cada pessoa reage à crítica de uma maneira diferente.



"Se a mulher concordar que o ganho de peso foi exagerado, ela pode entrar em um regime e emagrecer pela sua própria saúde, além de isso ser positivo para o relacionamento", sugere Kelen, para quem é fundamental respeitar os limites do próprio corpo. "Há pessoas que não conseguem manter um peso menor, devido à genética, por exemplo. Ou que depois de uma gravidez têm seu metabolismo alterado e não alcançam o peso de antes. Agora, se o emagrecer for algo que vai contra o que ela quer para si, ela vai ter que conversar com o parceiro sobre sua posição e pesar o que pode ser bom para si e para a relação", finaliza.

Nenhum comentário: