terça-feira, 11 de agosto de 2009

O que é a síndrome da pressa?


É uma síndrome que se caracteriza pela manutenção de um ritmo frenético exaustivo. Apesar da “síndrome da pressa” não ser reconhecida e classificada, pelos manuais de psiquiatria modernos, é estudada desde os anos 80.

Ela voltou a ganhar destaque por conta do lançamento recente de Se tiver pressa, ande devagar (Ed. Fundamento), um best-seller sobre gerenciamento do tempo escrito pelo especialista alemão Lothar Seiwert. O livro traz um teste para identificar o problema, também chamado de doença da pressa.

O QUE A CARACTERIZA?

Para caracterizá-la poderíamos dar exemplos de seus sintomas:

. acelerar quando se percebe que o semáforo está mudando para não ter que esperar;
. correr mesmo quando não se tem nada de importante para se fazer;

. sentir que as horas de seu dia são insuficientes para realização de suas obrigações;

. passar a valorizar mais a quantidade do que a qualidade da produção laborativa;

. ter dificuldades para se focar na tarefa que está executando no momento pelo fato de antecipar, na mente, a próxima tarefa;

. ser hostil com o rítimo lentificado de outras pessoas e irritar-se no trânsito com pessoas que dirigem devagar a sua frente;

. utilizar medicações ou drogas (incluindo principalmente o álcool) para controlar as emoções;
. ter sono agitado ou superficial;

. sentir desconforto ou remorso quando não está “fazendo nada”;

. se irritar com atrasos;

. fazer duas ou mais coisas simultaneamente; ficar irritado com quem inclui muitos detalhes ao contar uma história;

. aproveitar cada momento de seu dia para fazer “algo útil”.

QUAL A DIFERENÇA ENTRE AS PESSOAS COM PRESSA EM RESOLVER TUDO E DAS PESSOAS ESTREESSADAS?

As pessoas com pressa para resolver tudo são fortes candidatas a tornarem-se pessoas estressadas, haja vista a maior chance que essas pessoas tem de virem a se frustrar, pois nem tudo ocorre da maneira que planejamos, mesmo quando não temos pressa.

A pressa é um fator complicador do planejamento de atividades, pois por causa dela idealizamos planejamentos diários utópicos, impossíveis de serem cumpridos.

Isso culmina por afetar nossa auto-estima e confiança, pois acabamos nos sentindo incapazes, frustrados e estressados com essa autocobrança irreal e excessiva.

O QUE CAUSA A SÍNDROME DA PRESSA?

O sentimento etiológico basal que desencadeia síndrome da pressa é o sentimento de ansiedade.

Há autores que definem a era moderna como a Idade da Ansiedade, associando a este acontecimento psíquico a agitada dinâmica existencial da modernidade; sociedade industrial, competitividade, consumismo desenfreado e assim por diante.

Diz-se que a simples participação do indivíduo na sociedade contemporânea já preenche, por si só, um requisito suficiente para o surgimento da Ansiedade. Portanto, viver ansiosamente passou a ser considerado uma condição do homem moderno ou um destino comum ao qual todos estamos, de alguma maneira, atrelados.

Com certeza, até por uma questão biológica, podemos dizer que a Ansiedade sempre esteve presente na jornada humana desde a caverna até a nave espacial.

A novidade é que só agora estamos dando atenção à quantidade, tipos e efeitos dessa Ansiedade sobre o organismo e sobre o psiquismo humanos, de acordo com as concepções da prática clínica, da medicina psicossomática e da psiquiatria.

Uma pessoa com síndrome da pressa pode desencadear outros problemos psicológicos ou físicos? Quais?

Sim, apesar da “síndrome da pressa” não ser reconhecida e classificada pelos manuais de psiquiatria modernos (CID 10 da OMS e DSM IV da Associação Psiquiátrica Americana), ela com o tempo pode ser o fator eliciador de outras doenças (essas sim já catalogadas e classificadas pelos manuais vigentes) como Síndrome do Pânico, Agorafobia, Transtorno Obsessivo Compulsivo, Transtorno de Ansiedade Generalizada, Infartos, Acidentes Vásculo-Cerebrais (“derrames”), Hipertensão Arterial, Gastrites, Úlceras, entre tantos outros.

QUAL A SOLUÇÃO? É UMA DOENÇA? TEM CURA?

Talvez considerá-la uma enfermidade seja um exagero, entretanto não há duvidas de que é uma alteração do comportamento e que merece atenção especial, pelo fato de ser um alerta de que algo não vai bem com o psiquismo do indivíduo, e também por poder ser o gatilho para as outras doenças já citadas anteriormente.

Algumas dicas para evitar tal síndrome são:

- dar atenção à sua família;
- fazer novas amizades e dedique tempo a elas;
- realizar atividades que não tenham a ver com seu trabalho;
- avaliar se está realizando coisas que te tragam prazer;
- compreender que você tem limites;
- não se preocupar com situações imaginárias que não aconteceram e podem não acontecer.

Existem doenças psíquicas que podem fazer com que a pessoa sinta pressa? Quais e por quê?

A pressa não está inclusa como sinal ou sintoma diagnóstico de nenhuma doença descrita pelos manuais psiquiátricos classificatórios modernos.


Fonte: Dr. Vítor Giacomini Flosi (Mestre em Ciências da Saúde pela FAMERP,
Psiquiatra pela AMB e Acupunturista pela AMB.)
Dra. Danielle Lobato Gouveia Flosi(Especialista em Psicoterapia Cognitivo Comportamental e Psicologia Hospitalar pela FAMERP)

Nenhum comentário: