sexta-feira, 5 de junho de 2009

IMPERMANÊNCIA

escrito por Analu Menezes

"Quantas vezes criamos riachos, trechos límpidos, e a chuva vem e destrói o córrego?
Quantas vezes largamos a pele diante da dor que arrebenta a alma?
Quantas vezes morremos nas despedidas?
Quantas vezes queremos reter a areia e ela escoa por entre os dedos? "

Nenhum comentário: