quinta-feira, 7 de maio de 2009

não somos NADA e queremos HIDRATANTES


por Patrícia Bernardes

Eu até tentei...Tentei mesmo não escrever sobre isso.
2009 tem sido um ano átipico para mim. Sei lá...Acho até que é a crise dos 30 ( e uns)..rs!
Gente...O ser humano é complicado...Nossa COMPLICADÍSSIMO.
Por mais que os terapeutas e os nossos melhores amigos nos diga: " É preciso viver em grupo,em sociedade para evoluir"...EU não consigo aceitar. Parei até de tentar.
A soberba, a ausência de humildade, a mentira , o ostracismo é próprio do nosso século ( e já vem de lá de trás).São tantas coisas que acontecem que este texto daria vazão para vários outros textos...
Desde a última segunda feira (4) eu estou em casa. Motivo? O céu resolveu " cair" nas cabeças dos soteropolitanos. As chuvas torrencias não tem dado trégua nem para os probres e nem para os ricos de Salvador.
O ponto que eu quero chegar é justamente esse...os estragos causados pelas chuvas.
99,9% da população é unanime em afirmar que a culpa é dos Governos (Federal,Municipal e Estadual). Será? Não é bem assim, penso eu.
O senso comum das rádios e tvs é que a "cidade de Salvador não foi projetada para grandes volumes de água e seu sistema de escoamento é precário".
O crescimento desordenado, a demora na liberação das verbas e etc... de nada chegam perto ao ponto que poucos tem a coragem de abordar: a EDUCAÇÃO DOMÉSTICA.
Quando se tem 5 aninhos onde as nossas mães nos ensinam a jogar os resíduos dos brinquedos ou dos alimentos?No LIXO. Isso não é uma questão de classe social.Qualquer residência ou barraco em encosta tem um saco de lixo.
O que quero dizer é o seguinte: " Não somos NADA e queremos passar HIDRATANTES pelo corpo".
Os Governos e as Prefeituras erram sim em embolçar as verbas que deveriam ser destinadas para situações de "emergência"...mas preferimos direcionar responsabilidades em vez de olhar para nós mesmos.
Sabe aquele sofá que eu queria doar e joguei no lixo? Sabe aquela garrafinha de água no Carnaval que jogamos nos boeiros para que não atrapalhasse com "aquele gatinho" que (qualquer uma)estava afim de ficar na avenida? Sabe os amendoins, as cascas, os papéis e tudo mais que jogamos na rua ao longo do ano?Pois é...Estas "cositas" estam nos boeiros da cidade que cada um de nós ajudou a obstruir e que agora a água não tem como passar.
Os Governos de um modo geral tem culpa ? Tem. Mais a população mais ainda.
Protestar não é obstruir os corregos e esperar que o poder ,dito como "público", apareça em sua comunidade. Protestar é rever nossos conceitos de civilidade (normas de convívio entre os membros duma sociedade). Só assim teremos uma morte digna diferente das pessoas achadas nos dutos da cidade ( já se contam 5 o n° de corpos encontrados pelos esgotos da cidade desde então).
Temos hidratantes na pele quando saímos de nossos carros que estam boiando nas avenidas da cidade? Temos hidratantes na pele quando atravessamos a rua e nos deparamos com níveis altos de água até chegar ao outro lado da rua? Temos hidratantes na pele quando assistimos crianças e idosos limpando seus pertences sujos de lama nos noticiários na rádio e na tv?
De fato...gostaria de ressaltar que quem não é NADA não vai deixar de querer seu HIDRATANTE na pele e nem tão pouco irá se misturar as outras pessoas para MODIFICAR esse situação.
Como dizia a minha avó Flordinice Bernardes : " A água só não limpa a língua dos outros".

Nenhum comentário: