sábado, 4 de abril de 2009

Inverno é a melhor época de tratar a gordura localizada


por Via Bibliomed, Revista O2 e Beleza Inteligente


Mesmo quem está no peso ideal, costuma se submeter a dietas para reduzir a medida da cintura ou dos quadris. Mas os especialistas alertam: quando o problema é gordura localizada, os cuidados com alimentação ou exercícios físicos podem não ser suficientes para solucionar o problema.
As regiões em que a gordura localizada mais se concentra no corpo da mulher são os quadris, glúteos e barriga. Já os homens apresentam menor incidência de gorduras localizadas, e tendem a acumular tecido adiposo mais interno, principalmente no abdômen. A diferença é que a gordura localizada se encontra em tecidos superficiais, acima dos músculos e abaixo da pele. Por essa razão, quando os homens fazem regime, normalmente eles perdem gordura mais facilmente que as mulheres. Além disso, a testosterona auxilia na queima do tecido adiposo. Também nos exercícios físicos o homem leva vantagem para diminuir as medidas. “Ele vai perder a gordura com mais facilidade. Já ela, ainda que se exercite com a mesma intensidade, não eliminará os excessos totalmente”, afirma a Dra. Deusa Pires Rodrigues, Especialista em Cirurgia Plástica e Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
A combinação mais adequada de exercícios para a mulher que deseja perder a gordura localizada é musculação alternada com atividades aeróbicas. Isso porque o fortalecimento dos músculos diminui a flacidez e a ginástica estimula o aumento do metabolismo, proporcionando maior queima de gordura. Ao contrário do que se pensa a postura do corpo não tem relação com o acúmulo de gordura na região da barriga. “Quando você estica o tronco, os excessos ficam menos evidentes, dando a impressão de que seu volume é menor. Mas é apenas uma impressão, pois a quantidade é a mesma”, explica a especialista. O modelo das roupas também pode marcar o corpo, mas não diminui o volume de gordura. A tendência da calça de cintura baixa, por exemplo, é projetar a gordura para fora, logo que ela é comprimida, portanto, mulheres com excessos de gordura, devem dar atenção também aos modelos de roupas que escolhem.
Segundo a especialista, para que os resultados contra a gordura localizada sejam mais efetivos, deve-se conciliar uma dieta baseada na reeducação alimentar, exercícios físicos regulares e tratamentos estéticos, que variam de acordo com o grau do problema. “A forma mais eficaz de tratar a gordura localizada é com acompanhamento conjunto, seguido de orientações médicas e avaliação prévia. Nos casos mais agudos de gordura localizada, pode-se fazer Lipoaspiração para remover os excessos ”, afirma a Dra. Deusa.
As clínicas estéticas disponibilizam dos mais variados tratamentos para a redução de medidas. Quanto à eficácia dos métodos, a especialista faz um alerta. “Dependendo da quantidade de gordura apenas tratamentos estéticos como hidrolipoclasia e eletrolipoforese não resolvem, sendo necessários procedimentos mais invasivos como a Lipoaspiração”. Em pacientes que se submetem aos tratamentos e também fazem acompanhamentos com reeducação alimentar e atividades físicas, as chances de sucesso aumentam significativamente. Dessa forma, as chances de se afinar a cintura de uma mulher, eliminar a famosa “gordura do soutien” na região dorsal ou os famosos “culotes” são bem maiores.
É comum a comercialização de produtos tais como cremes e géis, que prometem reduzir a gordura do corpo. De acordo com a especialista, a pele é uma barreira que dificulta a chegada do produto até a gordura. Segundo a ciência, o tecido cutâneo é um agente intransponível, cuja função é proteger o corpo da invasão externa. “Para que o produto alcance o local esperado, deve ultrapassar três camadas de pele, o que é quase impossível apenas com uso de produtos de uso externo. São por essa razão que os tratamentos chamados “invasivos”, feitos com agulhas, são mais eficientes, e nos casos de gorduras em maiores quantidades apenas a Lipoaspiração pode solucionar o problema”, afirma.

Nenhum comentário: