quinta-feira, 30 de abril de 2009

Inimigo silencioso...é o Câncer de MAMA

GENTE...eu esqueci!!!
Ontem, 29 de abril, foi o Dia Nacional de Combate ao Câncer de Mama e temos o que comemorar na data: entrou em vigor a lei que garante às mulheres acima de 40 anos o direito de realizar mamografias pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A notícia pode ajudar a mudar o quadro da doença no Brasil, que tira a vida precocemente de muitas mulheres.
Medo e dor. Essas são as primeiras palavras que vêm à cabeça quando se pensa em câncer, uma doença devastadora, que faz sofrer não apenas a pessoa doente, mas também amigos e familiares que, na maioria das vezes, pouco podem fazer para amenizar a agonia de seu ente querido. E entre as mulheres, o câncer de mama é o mais temido! E com razão. Os números são alarmantes. Dados do Programa de Oncobiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) indicam que 400 mil novos casos de câncer surgem a cada ano no Brasil, sendo que um terço deles com óbitos. A doença é a segunda que mais mata no país e sua incidência e mortalidade têm crescido em virtude do aumento da expectativa de vida e de fatores como poluição, hábitos alimentares inadequados, sedentarismo, tabagismo, entre muitos outros.
Conhecimento é o melhor remédio
Como tudo que é desconhecido causa ainda mais medo e receio, nada melhor que conhecer o câncer de mama a fundo para saber como lidar com ele e, principalmente, evitá-lo. Afinal, muitos casos são curáveis, principalmente se diagnosticados em seu estágio inicial. Primeiramente, é preciso saber como ele se forma. Na verdade, conforme instrui o Instituto Nacional do Câncer (Inca), câncer é o nome dado a um conjunto de mais de cem doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células que invadem os tecidos e órgãos.
Sintomas
O câncer de mama é perceptível por meio de nódulo ou tumor no seio, podendo ou não apresentar dor. Podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como abaulamentos ou retrações ou um aspecto semelhante à casca de uma laranja e ainda surgirem nódulos palpáveis na axila.
O Inca não estimula o auto-exame como estratégia isolada na detecção do câncer de mama. Ele é importante, mas deve ser apenas complementar, realizado entre uma e outra consulta ao ginecologista, pois não substitui o exame clínico feito por profissionais de saúde. Mesmo assim, toda forma de prevenção nunca é demais, por isso, fique atenta aos passos que devem ser seguidos no auto-exame:
1. Em pé, em frente ao espelho. Observe o bico dos seios, a superfície e o contorno das mamas.
2. Em pé, em frente ao espelho, levante os braços. Observe se com o movimento aparecem alterações de contorno e superfície das mamas.
3. Deitada, a mão direita apalpa a mama esquerda. Faça movimentos circulares suaves apertando levemente com as pontas dos dedos.
4. Deitada, a mão esquerda apalpa a mama direita. Repita deste lado movimentos circulares apertando levemente com as pontas dos dedos.

Nenhum comentário: