sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Grupo de Capoiera capacita crianças também em Universidades



“Dia a dia nega-se às crianças o direito de ser crianças. Os fatos, que zombam desse direito,
ostentam seus ensinamentos na vida cotidiana. O mundo trata os meninos ricos como se
fossem dinheiro, para que se acostumassem a atuar como o dinheiro atua. O mundo trata os
meninos pobres como se fossem lixo, para que se transformem em lixo. E os do meio, os que
não são ricos nem pobres, conserva-os atados à mesa do televisor, para que aceitem desde
cedo como destino, a vida prisioneira.”

Para enfrentar o desafio de educar pais, profissionais e instituições de ensino podem recorrer a
várias fontes. No entanto, a capoeira é uma alternativa interessante para este fim ao se
considerar que esta modalidade é oriunda da cultura popular e que carrega consigo um
exuberante acervo de informações, uma riqueza simbólica e seus movimentos de resistência
que denotam claramente a nossa conflituosa trajetória política, impregnada de abusos de
poder e dominações (FALCÃO, 1991; adaptado, p.34).
A capoeira foi criada pelos escravos africanos no período colonial brasileiro. Nos primórdios
“capoeira” era a denominação dada aos negros rebeldes que praticavam fugas e combatiam
seus repressores (ADORNO, 1999). Estes se preparavam para a fuga dentro da senzala através
de combates em forma de brincadeira ao som de tambores e músicas provenientes das várias
etnias africanas. A este respeito Adorno (1999) faz a seguinte afirmativa:
"Ao som dos atabaques permanecia vivo o culto aos orixás e outras danças das quais se
perdeu a memória, mas de onde nasceria o jogo da capoeira" (p.15).
Desde a sua origem esta modalidade modificou-se bastante. Atualmente, a capoeira pode ser
dividida em Angola e Regional. Ambas são realizadas necessariamente em uma roda formada
pelos capoeiristas integrantes. Na roda estão presentes instrumentos como berimbau,
atabaque, pandeiro e agogô. O som destes em conjunto é acompanhado de músicas e palmas
formando o ritmo que rege o jogo da capoeira. O jogo ocorre entre dois jogadores ao centro
da roda sendo o mesmo constituído de trocas de golpes, esquivas e movimentações.
Pode-se considerar que esta prática é muito bem denominada quando se utiliza o termo “jogo”
e não luta, pois a integridade física do companheiro sempre deve ser uma preocupação do
capoeirista.


Fonte:
FALCÃO, J. L. C. et al. A Capoeira Também Educa. Revista Sprint. Rio de Janeiro, v.54, p.
34-38, 1991.
FALCÃO, J. L. C. et al. O processo de escolarização da capoeira no Brasil. Revista Brasileira
de Ciências do Esporte. Florianópolis (SC), v.16/3, p. 173-182, 1995.
ADORNO, Camille. A Arte da Capoeira. Goiânia: Kelps, 1999,



Nenhum comentário: