quinta-feira, 19 de junho de 2008

você aguenta a PRESSÃO do dia a dia? Eu tento...


por Dr. Heinz Roland Jakobi


A pressão arterial se o coração bombear sangue para as artérias a uma maior velocidade (como quando se faz exercício), ou se as artérias estiverem constringidas, oferecendo assim resistência ao fluxo sangüíneo vindo do coração.

Uma pressão diastólica - Saudável não ultrapassa os 90 .

Uma pressão diastólica - Acima dos 95 indica hipertensão.

Uma pressão diastólica - Inferior a 60 pode ser perigosa .

As artérias saudáveis.

São elásticas e expandem-se e encolhem facilmente, mantendo a pressão arterial normal.

O afunilamento das artérias.

Que resulta de doença ou da idade, provoca um aumento da pressão arterial.

As artérias alargam.

Por exemplo, em caso de choque ou de grandes perdas de sangue provocam uma descida da pressão arterial.

Pressão arterial alta.

Quando as artérias apresentam afunilamentos ou se tornam rígidas devido a doença ou á idade , as paredes não conseguem expandir-se para aliviar a pressão, tendo como conseqüência uma subida dos níveis da pressão arterial. Se permanecerem elevados, podem dar origem a uma pressão arterial alta , conhecida clinicamente como hipertensão.

A pressão arterial alta danifica também as células das paredes das artérias, tornando-as menos elásticas, o que pode provocar um aumento ainda maior da pressão.

A pressão arterial aumenta naturalmente quando se faz exercício ou esforço , dado que o coração tem de bombear mais sangue para abastecer os músculos .

Na maior parte dos casos, a pressão alta não é sintomática, embora possa causar por vezes dores de cabeça, tonteiras, perturbações visuais e falta de ar .

Pressão arterial baixa

A pressão arterial que apresenta níveis abaixo da média de 140/90 mmHg não costuma causar problemas, como exceção de ligeiras dores de cabeça. As pessoas em boa forma física têm uma tensão arterial baixa, tal como as mulheres jovens.

A pressão arterial perigosamente baixa (uma pressão sistólica inferior a 60 mmHg) é conhecida como hipotensão e esta normalmente associada a choque e grandes perdas de sangue.

SABIA QUE ?

O número de mortes cardiovasculares aumenta no inverno em cerca de 70%. Entre as possíveis razões contam-se o aumento da pressão e o afunilamento das artérias coronárias que ocorre em temperaturas mais baixas. Especula-se que o frio é responsável pela taxa muito elevada de doenças cardíacas dos países escandinavos .

MANTER A PRESSÃO ARTERIAL .

Manter a pressão arterial num nível saudável é da maior importância para evitar a danificação das paredes das artérias, incluindo as do coração, e o aumento do risco de doenças cardíacas.

Os profissionais médicos e outros cientistas são opinião que alimentação mais saudável, mais exercícios físico e evitar o stress podem ajudar a manter a pressão arterial baixa ou abaixar, caso esteja demasiado alta .

As pessoas com tendência para uma pressão arterial alta devem fazer exames regulamente.

Os fatores de risco incluem: obesidade, pílula anticoncepcional, tabaco, ingestão excessiva de álcool, antecedentes familiares, gravidez e stress.

Para controlar o impacte das alterações no estilo de vida , algumas pessoas têm em casa aparelhos para medir a pressão , mais isso normalmente não é necessário.

Se o nível da sua pressão arterial estiver alto, o seu médico pode receitar-lhe medicamento, embora as alterações na alimentação também possam ser vitais. Os alimentos bons para o coração são frutas, legumes e peixe. É de evitar as gorduras, em especial as saturadas, que se encontram nos produtos lácteos e na carne vermelha.

Moderação em tudo, particularmente no consumo de sal de álcool, é também importante. Fumar é definitivamente de evitar .

MEDIR A PRESSÃO ARTERIAL

Desde o século XIX que foram sendo feitas tentativas para medir a pressão arterial. Em 1863, Etienne-Jules Marey, de Paris, introduziu o primeiro instrumentos prático para medir o pulsar do sangue e a quantidade de pressão nas artérias. Esse instrumento, a que se deu o nome de esfigmógrafo, continha um conjunto de parafusos e alavancas para alterar as tensões no braço. Outros cientistas aperfeiçoaram o invento de Marey. A pressão arterial é hoje medida com um instrumento denominado esfigmomanômetro que constitui um aperfeiçoamento das primeiras tentativas de Marey. Mede a pressão da artéria branquial (a principal artéria do antebraço) por meio de uma braçadeira que se encontra á volta do braço.

A braçadeira está ligada por meio de um tubo de borracha a um bolbo e a outro tubo que está ligado a uma coluna de mercúrio marcada em milímetros. A braçadeira é insuflada até uma pressão abaixo da sistólica para que não passe sangue pela artéria braquial. A pressão da braçadeira é então aliviada e o médico ouve com um estetoscópio colocado sobre a artéria , no cotovelo, por baixo da braçadeira. Quando o sangue recomeça a fluir , cria um ruído de pulsação e a pressão da braçadeira, nessa altura, esta igual á sistólica .

A medida que a pressão da braçadeira vai diminuindo, o som torna-se quase inaudível desaparecendo em seguida quando o fluxo sangüíneo deixa de estar obstruído. É neste momento que se mede a pressão diastólica .

Os valores normais para os adultos encontram-se algures baixos dos 140 mmHg para a pressão sistólica e dos 90 mm Hg para a pressão diastólica e são registradas como: 140/90 mm Hg. As pessoas jovens e saudáveis terão valores mais baixos, em especial as mulheres jovens. Tudo o que estiver acima dos 150/95 mm Hg é definido como hipertensão e pode necessitar de tratamento médico. A pressão arterial baixa não constitui normalmente motivo de preocupação, a não ser que tenha caído para níveis perigosos motivados por choque ou perdas de sangue .


Nenhum comentário: