quinta-feira, 19 de junho de 2008

FÉRIAS & SAÚDE...é tudo de bom...


Dra. Maria Filomena Antonio instrutora de yoga e acupunturista

A Kundaline Yoga surgiu na Índia há mais de 4.000 anos e lá permaneceu até 1969, quando um mestre indiano, Yogi Bra-jan, foi para os Estados Unidos e ali passou não só a dar aulas de Kundaline, mas também a formar professores. Esses professores foram enviados para vários países, formando mais de 100 núcleos onde se ensina Kundaline Yoga.A Kundaline Yoga é uma forma de auto-desenvolvimento, promove a inte-gração do corpo, mente e alma. Este estado é alcançado por meio dos asanas (posturas e exercícios), pranayamas (respiração controlada), meditação, filosofia e estilo de vida yóguico.Kundaline Yoga, ou Yoga da Consciência, leva o nome de uma energia que todos guardamos no primeiro chakra, na base da coluna, conhecida como energia Kundaline, que é a energia da alma, e representa a energia da mais alta consciência.Despertar essa energia com a prática de Kundaline Yoga não é um processo relâmpago, e sim um amadurecer gradual, que pode durar anos ou toda a vida. Portanto, o propósito é alcançarmos uma saúde ótima, o amor, o bom humor e todos os valores humanos. Cada vez que praticamos, avançamos um passo.Muitos benefícios vêm dessa prática. Os principais são: . desenvolve a percepção; . potencializa a concentração; . estimula a intuição e a criatividade; . auxilia no funcionamento dos sistemas; . substitui padrões negativos por hábitos saudáveis;. aumenta a capacidade para lidar com as pressões externas (stress) e internas (depressão, ansiedade); . aumenta a flexibilidade e a disposição física, além dos benefícios específicos trabalhados a cada aula.A prática de Kundaline Yoga tem muitos exercícios dinâmicos e combinados com respiração, além de mantras e meditação.Uma frase resume essa prática maravilhosa: “Seu direito de nascimento é ser saudável, feliz e divino”.

Alimentação saudável ou puro modismo?Cuidado colegas...



por Vânia Caldeira

Ser vegetariano está na moda. É uma forma de mostrar um cuidado com a alimentação e com o corpo. No entanto, e apesar das vantagens, que podem advir desta alimentação, existem vários cuidados a ter.
Um dos principais riscos da dieta puramente vegetariana (ao contrário da dieta lacto-ovo-vegetariana) é uma desnutrição proteico-calórica, ou seja, a dificuldade em obter proteínas e calorias suficientes a uma vida saudável.
As calorias presentes nos vegetais e frutas, cerca de 30-50kcal por cada 100g, são muito menores que as das carnes, em que cada 100g de carne tem cerca de 150 a 300 kcal. No entanto, a dieta vegetariana até pode ser benéfica em termos calóricos, já que permite uma diminuição do peso corporal.
Já no que toca as proteínas, o caso revela-se mais sério. Por um lado, a maior parte dos ingredientes destas dietas contém muito menor quantidade de proteínas (1-2g em cada 100g), do que a alimentação à base de carne e peixe (15-20g de proteínas em 100g). Além disso, a maior parte das proteínas vegetais tem baixo valor biológico e algumas proteínas de origem vegetal são digeridas de forma incompleta pelo organismo humano.
Estes riscos assumem relevante importância em determinados grupos de risco, como as crianças, as mulheres grávidas e as lactantes. Por exemplo, enquanto que um adulto requere diariamente cerca de 0,8g de proteínas e 40 kcal por kg do seu peso corporal (um homem de 72kg necessita diariamente de 58g de proteína diária), uma criança pequena tem o dobro ou o triplo das necessidades. Da mesma forma, uma mulher gestante necessita de uma quantidade adicional de 10g de proteína e 300kcal por dia e uma lactante necessita de 15g de proteína e 300kcal extras diariamente.Assim, este grupo de risco está particularmente sujeito à desnutrição proteico-calórica, quando pratica uma dieta exclusivamente vegetariana.É fundamental ter o cuidado de incluir na dieta os aminoácidos essenciais (aminoácidos que o organismo humano é incapaz de produzir, podendo apenas ser obtidos pela dieta), já que enquanto que a maioria das proteínas animais contém, geralmente, todos os aminoácidos essenciais, nas proteínas vegetais faltam um ou mais destes aminoácidos. A chave é sempre uma alimentação ponderada em que, por exemplo, se se combinar o milho (deficiente em lisina) com legumes (deficientes em metionina, mas ricos em lisina), se conseguem compensar as falhas da alimentação vegetariana.Concluindo, ser vegetariano deve ir muito além de uma mera tendência ou moda e não é apenas comer vegetais e banir o resto da alimentação. Ser vegetariano passa, necessariamente, por um planeamento cuidado da alimentação e pelo conhecimento das necessidades básicas do nosso organismo.


http://coursejournal_medicina.blogs.sapo.pt/36575.html

Acumputura sem Riscos? é MARAVILHOSO...


Um dos métodos naturais para emagrecimento é a Acupuntura, que não prevê o uso de medicamento e é de eficácia comprovada. A Acupuntura atua procurando restabelecer o equilíbrio perfeito das correntes elétricas do organismo.
Esta técnica começou há mais de 5 mil anos na China, e hoje está muito desenvolvida, até com a utilização de equipamentos eletrônicos. Devido à sua grande eficácia, a Acupuntura propagou-se em vários países, entre eles a Itália, Espanha, Inglaterra, EUA, URSS, Japão, Coréia, França e China.
A Acupuntura tem duas estratégias básicas para auxiliar na perda de peso. O método de tratamento mais tradicional consiste em considerar a obesidade como uma conseqüência de maus hábitos alimentares, podendo ser comparado ao tabagismo. Esse método utiliza a Aurículopuntura.
O tratamento de obesidade pela Aurículopuntura, consiste em implantar agulhas auriculares convencionais, presas com fita adesiva específica, que são trocadas semanalmente (o ideal é serem trocadas a cada 4 dias).
Alternativamente, podemos aplicar agulhas removíveis, utilizando como auxiliar no tratamento a acupressão, que consiste na aplicação de pequenas bolinhas metálicas ou sementes, fixas por fita adesiva no pavilhão auricular. O método alternativo utiliza um conjunto de pontos do corpo, escolhidos criteriosamente, de acordo com as necessidades terapêuticas do paciente.
O tratamento consiste na aplicação de agulhas removíveis em pontos específicos do corpo, de acordo com as necessidade individuais. Após essa terapia, pode ser utilizada como complemento terapêutico, a moa.
Esses tratamentos devem ser realizados uma ou duas vezes por semana, de acordo com a evolução da terapia. Pessoas com tendência à obesidade podem experimentar um aumento de peso após o encerramento do tratamento com Acupuntura, devido aos seus hábitos alimentares incorretos, havendo grande chance de retornar à condição de peso inicial.
Assim, todo paciente deve rever completamente seu estilo de vida, seus hábitos alimentares, a retomada à prática de exercícios físicos, prevendo ainda, a repetição do tratamento algumas vezes no ano.



Dra. Rosangela Fernandes de Sousa
CREFITO-4542/F

de repente...uma PEDRA em meu caminho...e agora?


O fígado tem várias funções, dentre as quais a produção de bile. A bile é necessária para digerir as gorduras que ingerimos. O fígado produz 2 litros de bile por dia, em ritmo constante de produção. A bile goteja pelo canal do fígado (ducto colédoco), até desembocar no duodeno (duodeno é a primeira parte do intestino). Dessa forma o duodeno sempre tem bile para “recepcionar” uma eventual ingestão de gordura.
O canal do fígado (colédoco) tem uma ligação com um pequeno depósito chamado vesícula biliar, que armazena um pouco da quantidade da bile produzida (20 ml). Quando ingerimos uma refeição gordurosa, o duodeno “avisa” a vesícula sobre a presença de gordura. Em resposta a este aviso, a vesícula se contrai, enviando cerca de 20 ml de bile para o coledoco, o que promove uma pequena injeção extra de bile no duodeno, sincrônica à ingestão gordurosa, e isto auxilia a digestão das gorduras ingeridas.
Algumas famílias, cerca de 20 % das famílias do planeta, têm como característica genética a Preguiça da Vesícula Biliar. Nessas pessoas a vesícula biliar não se contrai por muito tempo, e assim os 20 ml de bile, que deveriam ir para o coledoco, permanecem na vesícula, onde passam por processo de desidratação, concentração e finalmente a bile começa a empedrar. É desse modo que se formam as pedras da vesícula.
As pedras da vesícula promovem sintomas e podem originar complicações.
Os sintomas mais comuns são náuseas e empachamento após refeições gordurosas.
As complicações são devidas à migração dos cálculos . Assim, se um cálculo migrar para o ponto de junção da vesícula com o coledoco, ocorre o entupimento da vesícula. Isso faz com que a vesícula se contraia, numa tentativa de se desobstruir. Instala-se, então, um quadro de dor intensa que se irradia para as costas, geralmente acompanhado de vômitos .
Freqüentemente obriga o paciente a procurar um Pronto Socorro, onde recebe medicação antiespasmódica (Ex. Buscopan), que provoca o relaxamento da vesícula e permite que a pedra volte para a vesícula, o que alivia a crise . Algumas vezes o encaixe da pedra na junção da vesícula ao coledoco é tão firme, que a pedra não consegue voltar; nesse caso a cólica não passa . A vesícula entra em sofrimento, infecção e posterior perfuração com peritonite grave. Esse quadro é chamado Colecistite Aguda.
Algumas vezes estas pedras passam da vesícula para o canal do fígado (coledoco) e o entopem - nesse caso a produção de bile do fígado não consegue escoar para o duodeno. Ocorrem cólicas e a bile represada no fígado reflui para o sangue, surgindo assim a icterícia (coloração amarelada do paciente). Esse quadro é chamado Coledocolitíase.
Quando a pedra da vesícula entope o coledoco pode ocorrer também o entupimento do canal do pâncreas, causando a temível Pancreatite Aguda.
Essas 3 complicações são muito graves, têm inicio súbito, e podem até mesmo provocar a morte do paciente.
Outra complicação da vesícula que contém pedras é que nela pode surgir um Câncer, com freqüência muito maior que na vesícula normal. Trata-se de uma patologia rara porém, quase na totalidade dos casos, incurável.
Assim, se encontramos pedras na vesícula significa que ela é preguiçosa, portanto, não tem mais função. Além disso ela representa risco constante de cólica, colecistite aguda, coledocolitíase, pancreatite aguda e câncer.
Por isso é consenso que a vesícula com pedras deve ser extirpada (colecistectomia), e a técnica mais aceita para esta cirurgia é a videolaparoscopica.


Fonte: www.francoerizzi.com.br/

você aguenta a PRESSÃO do dia a dia? Eu tento...


por Dr. Heinz Roland Jakobi


A pressão arterial se o coração bombear sangue para as artérias a uma maior velocidade (como quando se faz exercício), ou se as artérias estiverem constringidas, oferecendo assim resistência ao fluxo sangüíneo vindo do coração.

Uma pressão diastólica - Saudável não ultrapassa os 90 .

Uma pressão diastólica - Acima dos 95 indica hipertensão.

Uma pressão diastólica - Inferior a 60 pode ser perigosa .

As artérias saudáveis.

São elásticas e expandem-se e encolhem facilmente, mantendo a pressão arterial normal.

O afunilamento das artérias.

Que resulta de doença ou da idade, provoca um aumento da pressão arterial.

As artérias alargam.

Por exemplo, em caso de choque ou de grandes perdas de sangue provocam uma descida da pressão arterial.

Pressão arterial alta.

Quando as artérias apresentam afunilamentos ou se tornam rígidas devido a doença ou á idade , as paredes não conseguem expandir-se para aliviar a pressão, tendo como conseqüência uma subida dos níveis da pressão arterial. Se permanecerem elevados, podem dar origem a uma pressão arterial alta , conhecida clinicamente como hipertensão.

A pressão arterial alta danifica também as células das paredes das artérias, tornando-as menos elásticas, o que pode provocar um aumento ainda maior da pressão.

A pressão arterial aumenta naturalmente quando se faz exercício ou esforço , dado que o coração tem de bombear mais sangue para abastecer os músculos .

Na maior parte dos casos, a pressão alta não é sintomática, embora possa causar por vezes dores de cabeça, tonteiras, perturbações visuais e falta de ar .

Pressão arterial baixa

A pressão arterial que apresenta níveis abaixo da média de 140/90 mmHg não costuma causar problemas, como exceção de ligeiras dores de cabeça. As pessoas em boa forma física têm uma tensão arterial baixa, tal como as mulheres jovens.

A pressão arterial perigosamente baixa (uma pressão sistólica inferior a 60 mmHg) é conhecida como hipotensão e esta normalmente associada a choque e grandes perdas de sangue.

SABIA QUE ?

O número de mortes cardiovasculares aumenta no inverno em cerca de 70%. Entre as possíveis razões contam-se o aumento da pressão e o afunilamento das artérias coronárias que ocorre em temperaturas mais baixas. Especula-se que o frio é responsável pela taxa muito elevada de doenças cardíacas dos países escandinavos .

MANTER A PRESSÃO ARTERIAL .

Manter a pressão arterial num nível saudável é da maior importância para evitar a danificação das paredes das artérias, incluindo as do coração, e o aumento do risco de doenças cardíacas.

Os profissionais médicos e outros cientistas são opinião que alimentação mais saudável, mais exercícios físico e evitar o stress podem ajudar a manter a pressão arterial baixa ou abaixar, caso esteja demasiado alta .

As pessoas com tendência para uma pressão arterial alta devem fazer exames regulamente.

Os fatores de risco incluem: obesidade, pílula anticoncepcional, tabaco, ingestão excessiva de álcool, antecedentes familiares, gravidez e stress.

Para controlar o impacte das alterações no estilo de vida , algumas pessoas têm em casa aparelhos para medir a pressão , mais isso normalmente não é necessário.

Se o nível da sua pressão arterial estiver alto, o seu médico pode receitar-lhe medicamento, embora as alterações na alimentação também possam ser vitais. Os alimentos bons para o coração são frutas, legumes e peixe. É de evitar as gorduras, em especial as saturadas, que se encontram nos produtos lácteos e na carne vermelha.

Moderação em tudo, particularmente no consumo de sal de álcool, é também importante. Fumar é definitivamente de evitar .

MEDIR A PRESSÃO ARTERIAL

Desde o século XIX que foram sendo feitas tentativas para medir a pressão arterial. Em 1863, Etienne-Jules Marey, de Paris, introduziu o primeiro instrumentos prático para medir o pulsar do sangue e a quantidade de pressão nas artérias. Esse instrumento, a que se deu o nome de esfigmógrafo, continha um conjunto de parafusos e alavancas para alterar as tensões no braço. Outros cientistas aperfeiçoaram o invento de Marey. A pressão arterial é hoje medida com um instrumento denominado esfigmomanômetro que constitui um aperfeiçoamento das primeiras tentativas de Marey. Mede a pressão da artéria branquial (a principal artéria do antebraço) por meio de uma braçadeira que se encontra á volta do braço.

A braçadeira está ligada por meio de um tubo de borracha a um bolbo e a outro tubo que está ligado a uma coluna de mercúrio marcada em milímetros. A braçadeira é insuflada até uma pressão abaixo da sistólica para que não passe sangue pela artéria braquial. A pressão da braçadeira é então aliviada e o médico ouve com um estetoscópio colocado sobre a artéria , no cotovelo, por baixo da braçadeira. Quando o sangue recomeça a fluir , cria um ruído de pulsação e a pressão da braçadeira, nessa altura, esta igual á sistólica .

A medida que a pressão da braçadeira vai diminuindo, o som torna-se quase inaudível desaparecendo em seguida quando o fluxo sangüíneo deixa de estar obstruído. É neste momento que se mede a pressão diastólica .

Os valores normais para os adultos encontram-se algures baixos dos 140 mmHg para a pressão sistólica e dos 90 mm Hg para a pressão diastólica e são registradas como: 140/90 mm Hg. As pessoas jovens e saudáveis terão valores mais baixos, em especial as mulheres jovens. Tudo o que estiver acima dos 150/95 mm Hg é definido como hipertensão e pode necessitar de tratamento médico. A pressão arterial baixa não constitui normalmente motivo de preocupação, a não ser que tenha caído para níveis perigosos motivados por choque ou perdas de sangue .


sábado, 7 de junho de 2008

"O jornalismo como ele é" na Livraria Saraiva




"O jornalismo como ele é" na Livraria Saraiva (Salvador Shopping), na segunda-feira, dia 9, às 9h30min, palestra com o repórter Giácomo Mancini e o cinegrafista Júlio César Almeida, respectivamente repórter e cinegrafista da TV Bahia/Rede Globo. Eles vão falar sobre "Os Desafios do Telejornalismo Contemporâneo".Na sexta-feira, dia 13, entre 7 e 10h40min, teremos o prazer de receber no Centro Universitário da Bahia -FIB o jornalista Biaggio Talento, revelado no histórico Jornal da Bahia, que este ano faz 50 anos de fundação, e atualmente no A Tarde. Talento terá um encontro com a turma de Criação e Produção de Textos para Mídias do terceiro semestre da FIB para trocar idéias sobre a elaboração de uma boa pauta, tomando como base sua experiência de 25 anos na sucursal baiana do jornal O Estado de S. Paulo.


terça-feira, 3 de junho de 2008

SJCDH promove oficina de formação de educadores



Com o objetivo de apresentar o panorama de educação no Estado da Bahia, além dos princípios da educação nas prisões e a metodologia da Educação para Jovens e Adultos (EJA), foi realizada no último dia 30, a 1ª Oficina de Formação dos Educadores das Unidades Prisionais, no Instituto Anísio Teixeira (IAT) - Centro Administrativo da Bahia.O curso é promovido pela Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH) e é voltado para professores e profissionais de educação da Penitenciária Lemos de Brito (PLB), além dos coordenadores pedagógicos da Colônia Penal de Simões Filho e do Conjunto Penal de Lauro de Freitas.De acordo com a coordenadora de atividades educativas da SJCDH, Meire Russi, a Secretaria pretende, com a oficina, melhorar a qualidade de ensino dentro das unidades prisionais, investindo na qualificação dos mesmos.

04 de Junho - Dia Mundial contra Agressão Infantil