terça-feira, 13 de maio de 2008

Jornalismo On – line é avaliado em pesquisa na UFBA

por Patrícia Sousa (Jornal Infociência 2008.1)

Produção de notícias apresenta mudanças na web

“O Jornalismo Audiovisual On – line e suas fases na Web” foi o tema do artigo de mestrado apresentado pela atual professora de Telejornalismo do Centro Universitário da Bahia –FIB, Leila Nogueira em 2004, no V Congresso Iberoamericano em Periodismo na Internet. A idéia surgiu do interesse da pesquisadora em telejornalismo de aliar a sua prática ao seu projeto de mestrado entre 2002 e 2003, concluído na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

O seu projeto de mestrado foi realizado com a ajuda do seu orientador Elias Machado e Marcos Palácios, atual coordenador do Grupo de Pesquisa em Jornalismo On-line (GJOL) da UFBA. Para realizar a sua pesquisa, Leila escolheu dois modelos de produção e transmissão de notícias audiovisuais: um profissional e outro universitário. O modelo profissional foi o UOL News e o universitário foi a TV UERJ Online. Segundo a pesquisadora, o objetivo da escolha por estes veículos foi perceber as tendências de desenvolvimento do que foi chamado por Leila de Webjornalismo Audiovisual. Na sua pesquisa de campo ela salientou a importância da terminologia “Webjornalismo Audiovisual” para que o leitor soubesse que este é o nome dado as notícias em vídeo na web.

“Parte da pesquisa foi realizada na própria redação da UOL News em São Paulo, mas não houve nenhuma dificuldade nesta etapa”,afirma Leila.As primeiras dificuldades estavam relacionadas aos aspectos técnicos , segundo ela, alguns arquivos disponibilizados pelos veículos ,apresentavam problemas na hora da sua exibição enquanto que outros não permaneciam arquivados por muito tempo nas redações.Isto impedia uma nova consulta posterior.

A pesquisadora considera importante ter identificado às estruturas narrativas básicas do webjornalismo audiovisuais divididos em formas simples e formas complexas. As formas simples, segundo a pesquisadora, são as formas que envolvem apenas um sentido na captação da mensagem e as formas complexas são as que envolvem mais de um recurso para a sua exibição audiovisual. Quanto a sua estrutura no webjornalismo audiovisual foram identificadas as estruturas Planas, que não apresentam links e as estruturas Navegáveis que apresentam links.

Além disso, foi possível a percepção de três formas da circulação da notícia abordadas na pesquisa audiovisual na web: a TV aberta em presença on line que engloba emissoras de tv convencionais com exigência de conteúdos noticiosos em vídeo para a rede, a Web TV onde se encaixam as emissoras que nascem na web e,por último,o Canal de Conteúdo em Vídeo que normalmente,segundo Leila, possui seções sobre vários temas com material produzido pela própria web.

Os resultados observados pela pesquisadora foi que o desenvolvimento tecnológico tem permitido que as notícias em vídeo cresçam na web. “De 2005 para cá, cada vez mais sites jornalísticos incluem vídeos em suas produções. Isso é bom. O que precisamos agora é começar a estabelecer os critérios para utilização deste tipo de conteúdo, pois aí estaremos contribuindo para a consolidação de uma gramática própria para a web”, explica Leila.

Leila relata que durante as suas ações no campo de pesquisa, não contou com a ajuda de outras instituições e que desenvolveu as atividades com as contribuições de seu orientador Elias Machado e a bibliografia apontada nas reuniões do GJOL. “As inquietações apresentadas pelos colegas mestrandos e doutorandos foram sempre muito importantes para apontar os caminhos da pesquisa.”,finaliza Leila. u os Navegs e a sua estrutura ram identificadas as Planas ples e formas complexas.e era as not

Nenhum comentário: