sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Cursos profissionalizantes retêm violência em Salvador


Um grupo de voluntários liderados pelo estudante de filosofia da UFBA Aroldo Mira tem buscado ajuda de empresas para promover parceiras no que diz respeito à melhoria da qualidade de vida dos moradores de Cosme de Farias. A comunidade tem sido beneficiada pelos cursos profissionalizantes promovidos através de uma parceria com o Sesc.As aulas são ministradas em um prédio alugado pelo grupo de voluntários e fica próximo ao Colégio João Pedro dos Santos na Av.Bonocô. Os cursos de bordado, arte e jornal e decoração de festas têm auxiliado as famílias do local e contribuído para o aumento da sua renda mensal.
Cerca de 50 alunos foram formados no final do mês de dezembro de 2007. São permitidos apenas 25 alunos por turma com idade acima de 16 anos e que vivem nas proximidades do bonocô. Só são beneficiados com o diploma do Sesc os alunos que freqüentam as aulas das oficinas regularmente. Conhecida por ter um grande contingente de crianças e jovens de classe média baixa, o bairro sofre com a violência em seu comércio e o conflito constante entre líderes do tráfico de drogas da região.

A intenção do coordenador das atividades Aroldo Mira é de trazer para o local um número maior de cursos e voluntários para aumentar o número de famílias assistidas. Para Aroldo, o número de casos de roubos e violência pode ser contido com a mudança da qualidade de vida destas pessoas. Crianças e jovens em situação de prostituição infantil ou que sofrem abuso sexual por parte dos seus familiares, são os casos mais comuns combatidos pela equipe de orientadores nos finais de semana.
As passarelas para pedestres no bonocô são conhecidas por abrigar grupos de jovens infratores e crianças de 06 a 11 anos que vendem seu corpo por até R$1.00. A falta de informação por parte dos moradores sobre os seus próprios direitos como cidadão e a ausência de provas concretas dos crimes e abusos sofridos por estas pessoas, são os principais obstáculos encontrados por professores e orientadores envolvidos neste trabalho com a comunidade. “É importante fazer um trabalho constante de conscientização dos comerciantes do local para que eles se tornem parceiros das nossas atividades”, afirma a orientadora das crianças assistidas Lú Menezes. Segundo os voluntários, a expectativa de aumentar a sua renda familiar e o trabalho na auto - estima dos jovens que residem no local coopera para a retenção de furtos e tráfico no bairro.
Os cursos promovidos em parceria com o Sesc para 2008 estam previstos para começar neste mês de fevereiro cujo foco dos voluntários é levar aos moradores a idéia de “Aprenda, faça e venda”.Os cursos oferecidos neste semestre serão de pedraria,bijuteria,estamparia,pintura,embalagem e balões de festas (ornamentação).A intenção é continuar a dar apoio a comunidade no sentido de coibir a ação da criminalidade nas ruas e escolas do local.

Um comentário:

marli paula disse...

parabenizo por esse trabalhao e gostaria de saber como faço para mim inscrever no curso de bijuteria